Gina Rodriguez Brasil » Arquivos » Gina visita a Universidade Fresno State e conversa com estudantes

Gina Alexis Rodriguez é uma atriz americana de origem Porto-riquenha que tornou-se mais conhecida por seus papéis como Majo Tenorio no filme drama-musical Filly Brown e como Jane Villanueva na CW série de comédia-drama Jane the Virgin.

Saiba mais sobre gina rodriguez Clique aqui

Facebook Oficial

/HereIsGina

Twitter Oficial

@hereisgina

Instagram Oficial

@hereisgina
Siga Gina em suas redes sociais!
11
May
2017

Várias visitas a universidades já foram feitas por Gina. A escolhida da vez foi a Universidade Estadual da Califórnia, Fresno. O evento ocorreu no dia 28 de abril com a presença da atriz, que deu uma palestra – que se pareceu mais uma conversa, bem dinâmica, como relatou uma fã – sobre vários assuntos importantes. Para saber mais, acompanhe abaixo a tradução do artigo feito pela estudante:

Atriz. Ativista. Feminista.

Gina Rodriguez estrela de Jane the Virgin, série de sucesso da rede televisiva CW. Ela usa sua fama para representar as pessoas de cores, culturas que não são representadas e luta pelos direitos das mulheres.

Rodriguez veio a Universidade Fresno State no dia 28 de abril para conversar com os estudantes sobre amor próprio, empatia e sua jornada como uma mulher Latina. “A vida é muito mais agradável quando você se ergue e espalha o amor”, Gina diz. “Amor próprio é o que irá turbinar seu ativismo”.

A conversa da atriz foi focada no mantra em que seu pai te ensinou: “Hoje vai ser um grande dia. Eu posso fazê-lo acontecer, e é isso que vou fazer”. Ela contou para o público sua história de como seu pai a fez repetir esta frase todos os dias quando era criança, e ela ainda continua a dizer, mesmo depois de 17 anos.

As palavras “Eu posso e vou” tem inspirado Gina a criar sua própria companhia, na qual será centrada em propriamente representar as mulheres latinas nas telas. Ela disse o quanto é importante assistir programas com um elenco latino. “Garotas como eu nunca foram principais em programas de TV. [Por causa disso] eu não acreditei que poderia ser bem sucedida”, e acrescentou: “Se você quer ver isso em você mesma, dê apoio próprio”.

Muitas jovens da audiência perguntaram a Gina sobre se tornar bem sucedida. Na maioria das vezes, sua resposta à elas foi sobre entender em como ser uma mulher e uma pessoa de cor é uma força – e não uma fraqueza. “Eu fui preenchida pela ideia da solução vs. problema”, ela contou. “Neste momento você pensa que é o problema, mas é ao contrário. Você é a solução. Você uma mulher forte e durona”.

Diversas vezes durante a palestra, Gina contou sobre lidar com a rejeição. “Positividade, solução e poder. Você possui tudo isso. É a sua caminhada, faça o que você gosta e no que você quer ser”.

Em uma breve entrevista com uma estudante, Rodriguez disse que mulheres jovens não deveriam ter medo da procura de emprego que vem após a graduação.

Confira o vídeo em inglês e logo em seguida a transcrição:

Entrevistadora: Gina, quero te perguntar, com a graduação vindo aí, qual conselho você daria aos estudantes que estão indo procurar trabalho pela primeira vez? Especialmente os estudantes latinos, as mulheres… pode ser bem desesperador.

Gina: Você passou pela escola, então acho que você pode ultrapassar os obstáculos. Eu diria que a coisa mais animadora sobre sair da escola e ir para a vida adulta, é que você, na verdade, começa a construir a vida que você deseja. Isso pode ser um pouco intimidador, mas a escola também é, e você conseguiu passar por ela. E pra ser honesta, o mundo real é muito mais divertido. Saia e comece a fazer os seus sonhos se tornarem reais. É isso que eu diria.

Entrevistador: Como latina, quais conselhos você da a todos os latinos que estão motivados a encontrar um bom trabalho?

Gina: Oh, uau. O que eu diria aos latinos como motivação para encontrarem um bom trabalho? Eu diria… você definitivamente está recebendo educação e estamos falando de latinos que estão se auto educando, certo? Minha motivação seria essa: é a sua vida! Comece a guiar-la no caminho em que você quer que ela caminhe. E também, eu acho que você não precisa de outra motivação que não seja sobre você criar sua própria jornada. E uma história que, lá mais pra frente, você contará aos seus filhos. Não acho que há algo mais motivador do que isso.

Via: The Collegian

Deixe um comentário