Gina Rodriguez Brasil » Laudicéia Sena

Gina Alexis Rodriguez é uma atriz americana de origem Porto-riquenha que tornou-se mais conhecida por seus papéis como Majo Tenorio no filme drama-musical Filly Brown e como Jane Villanueva na CW série de comédia-drama Jane the Virgin.

Saiba mais sobre gina rodriguez Clique aqui

Facebook Oficial

/HereIsGina

Twitter Oficial

@hereisgina

Instagram Oficial

@hereisgina
Siga Gina em suas redes sociais!
09
September
2017

E não é a única série focada na imigração que ela tem nos trabalhos!

Gina Rodriguez está trazendo duas séries focadas na imigração para a televisão e seu timing não poderia ser melhor.

A estrela “Jane the Virgin” vendeu recentemente a série “Illegal” e “Have Mercy”, que se concentrará em histórias de imigrantes latinos, de acordo com Deadline. A notícia vem poucos dias depois que a administração Trump decidiu encerrar o programa que protege os jovens imigrantes indocumentados da deportação.

O “Illegal” será desenvolvido pela CW e espera-se que seja um drama de uma hora que segue a vida de um estudante de ensino médio promissor de 16 anos, cujo mundo é virado de cabeça para baixo quando descobre que ele, como seus pais, é indocumentado . A série será escrita e co-executiva produzida por Rafael Agustín, cujas experiências da vida real servem de inspiração para o show.

Segundo a Variety, “Have Mercy” é um drama sobre uma médica Latina que é incapaz de praticar a medicina, uma vez que ela emigra para Miami. A protagonista torna-se assistente de uma enfermeira, mas põe em risco tudo quando ela abre uma clínica em seu apartamento para servir sua comunidade.

Ambas as séries e uma adaptação próxima de “LA Story” de 1991 estão sendo desenvolvidas sob o acordo geral Rodriguez e sua produtora, I Can & I Will, assinaram com os estúdios de TV da CBS em janeiro.

Tradução e Adaptação:

Equipe Gina Rodriguez Brasil

 

Via: Huffpost

27
November
2016

Confira a descrição oficial do 7º episódio da 3ª temporada de Jane the Virgin, escrito por Sarah Goldfinger, Jessica O’Toole e Amy Rardin , com direção de Gina Lamar. Sua exibição será no dia 28/11/2016.

SEGUINDO EM FRENTE – Quando Alba (Ivonne Coll) faz Jane (Gina Rodriguez) se sentir culpada por não participar da igreja, Jane decide que quer trazer Mateo contra os desejos de Rafael (Justin Baldoni). Rafael abre uma longa memória perdida dele e de sua mãe, o que poderia ser uma pista no caso Mutter. Rogelio (Jaime Camil) contrata um casamenteiro para ajudá-lo a superar Xo (Andrea Navedo.) Enquanto isso, a prima de Jane está começando a desgastar de sua hospitalidade.

Confira, na nossa galeria de imagens, os stills do episódio 3×07 de Jane the Virgin:

Inicio > Jane the Virgin > Season 3 > Stills > 3.07 |CHAPTER FIFTY-ONE

      002-still307 003-still307 004-still307 005-still307

25
November
2016

Em uma palestra que se baseou em suas experiências pessoais e profissionais, a atriz Gina Rodriguez disse aos alunos para serem corajosos, assumirem riscos e serem os herois em suas próprias histórias. 

Em uma noite tempestuosa de novembro, na Nova Inglaterra, tão distante quanto possível das palmeiras que espalham o set de “Jane the Virgin”, a estrela de televisão Gina Rodriguez deixou sua abordagem cômica de lado para entregar uma palestra no Conselho de Conferência Brown para os alunos que tocaram no corpo positividade, saltando para o desconhecido e mantendo um forte senso de auto-apreciação.

Uma Chicago, Ill., nativa e uma artista aspirante desde seus anos de infância, Rodriguez é talvez melhor conhecida por seu papel como Jane Villanueva na comédia/drama do canal CW. Seu retrato de uma jovem mulher que é acidentalmente inseminada lhe valeu uma vitória do Globo de Ouro em 2015 e uma segunda recente nomeação para Melhor Atriz em uma série de televisão.

Grande parte de sua fama e sucesso, ela disse em uma sala cheia de estudantes da Brown na segunda-feira, 21 de novembro, pode ser reduzida a uma frase que seu pai gravou em sua cabeça em uma idade precoce: “Hoje é um grande dia. Eu posso e eu vou “.

Repetindo essas palavras todos os dias na frente de um espelho, Rodriguez pensou em sua rotina como um hábito bobo que ela tinha pegado. Mas depois de chegar à Universidade de Nova York para estudar drama, ela foi diagnosticada com doença da tireóide, uma condição frequentemente marcada por cansaço e ganho de peso. Ela sentiu que estava amaldiçoada, disse ela.

“Eu já tenho todas essas coisas contra mim”, Rodriguez disse que ela pensou na época. “Eu estou quebrada, sou marrom, não me pareço como as senhoras nos filmes, e eu só queria ser uma atriz principal.”

Mas ela pediu o conselho de seu pai, disse ela, que ressoou com ela mais do que nunca.

Desde então, Rodriguez conseguiu papéis em grandes filmes e programas de televisão, incluindo papéis em “Law & Order”, “Army Wives” e, claro, “Jane the Virgin”. Ela também vai estrelar o próximo suspense de ficção científica, “Annihilation”, ao lado de Natalie Portman, Oscar Isaac e Tessa Thompson, entre outros.

No entanto, seu entusiasmo pelo papel que abraçou sua herança é inigualável. Rodriguez, que é de ascendência porto-riquenha, disse para a Vanity Fair que ela se apaixonou por seu personagem de “Jane the Virgin” porque ela era “positiva e edificante, engraçada e corajosa, e ela começa a ser uma Latina”

Durante uma discussão de perguntas e respostas com os alunos, a atriz de 32 anos disse que as barreiras ao sucesso são muitas vezes auto-impostas.

“Eu costumava pensar que havia uma entidade que estava me dizendo: ‘Oh, você é porto-riquenha, você não pode passar”, disse ela. “A verdade é que isso era tudo em minha mente. Todas aquelas caixas – todas aquelas bordas e paredes que as pessoas colocam – são imaginárias. ”

Rodriguez disse que ela aborda a auto-dúvida, reconhecendo que seu sucesso é bem merecido, dado o trabalho duro e estudo que ela tem dedicado a sua atuação. Essa declaração traçou paralelos com um comentário anterior sobre sua condição médica, que ela disse que iniciou uma jornada de auto-amor e consciência que continua até hoje.

“Eu sou quem vai decidir o que me afeta e o que não”, disse ela. “Eu sou o único que vai decidir se vou desistir ou não. E eu decidi não fazer isso.”

Rodriguez disse aos alunos que, ao aceitar o convite do Conselho de Conferência Brown, ela não sabia qual conselho poderia dar aos alunos, porque não professava possuir grande sabedoria além de suas próprias experiências.

“Eu só posso dar-lhe a minha verdade, porque eu não sei nada sobre o cinema japonês” ou qualquer outro nicho com a exceção da arte e do amor, ela disse à multidão exuberante de estudantes, que aplaudiu por toda parte e estalou os dedos em cada oportunidade .

Acima de tudo, Rodriguez incitou os alunos a serem os “heróis” em suas próprias histórias, manter um forte senso de auto-consciência e evitar o medo do fracasso. Ela expressou sua preocupação sobre uma viagem que ela estará fazendo para a Tailândia para escrever um livro, que reafirma uma visão que ela vive e encoraja os outros a fazerem o mesmo.

“Eu estou indo nesta viagem que me assusta a m*** fora de mim,” Rodriguez disse. “Eu poderia falhar. O livro poderia sugar. Eu não poderia escrever uma maldita coisa em um mês. Posso decepcionar. Eu posso desiludir. Mas vou tentar, porque prefiro falhar do que não tentar de jeito nenhum. ”

Via: Brown University

20
November
2016

Confira a descrição oficial do 6º episódio da 3ª temporada de Jane the Virgin, escrito por Valentina Garza e David S. Rosenthal, com direção de Melanie Mayron. Sua exibição será no dia 21/11/2016.

UMA INESPERADA REVIRAVOLTA – Quando a prima de Jane (Gina Rodriguez) inesperadamente aparece na sua porta, Jane começa a questionar a sua vida monótona. Xo (Andrea Navedo) encontra o lugar perfeito para o seu estúdio de dança, mas é próximo de seu ex-namorada, Bruce (convidado especial, Ricardo Chavira). Rogelio (Jaime Camil) perceber os seus sentimentos por Xo, mas tem dificuldades para contá-la. Petra (Yael Grobglas) é intimada de um processo judicial e decide pedir ajuda à Rafael (Justin Baldoni). Enquanto isso, Michael (Brett Dier) está pronto para voltar ao trabalho quando consegue uma folga do caso Mutter.

Confira, na nossa galeria de imagens, os stills do episódio 3×06 de Jane the Virgin:

Inicio > Jane the Virgin > Season 3 > Stills > 3.06 | CHAPTER FIFTY

                        stills3x06_2.jpg stills3x06_3.jpg stills3x06_4.jpg stills3x06_5.jpg

Via: Spoiler TV

06
November
2016

Confira a descrição oficial do 5º episódio da 3ª temporada de Jane the Virgin, escrito por Paul Sciarrotta, com direção de Anna Mastro. Sua exibição será no dia 14/11/2016.

PROBLEMAS DE CONFIANÇA – Jane (Gina Rodriguez) convence Alba a deixá-la ler as cartas de sua irmã distante, sob a condição de que Jane não procure a sua família. Rafael (Justin Baldoni) está começando a suspeitar de que algo está diferente com Petra (Yael Grobglas). Enquanto isso, Michael (Brett Dier) e Rafael, com a ajuda de Jane e Rogelio (Jaime Camil), tentam criar uma amizade civilizada, mas não vai tão bem como todos esperavam.

Confira, na nossa galeria de imagens, os stills do episódio 3×05 de Jane the Virgin:

Inicio > Jane the Virgin > Season 3 > Stills > 3.05 | CHAPTER FORTY-NINE

                                                          still3x05_2.jpg still3x05_3.jpg

Via: Spoiler TV

06
November
2016

Confira a descrição oficial do 4º episódio da 3ª temporada de Jane the Virgin, escrito por Sarah Goldfinger, Jessica O’Toole e Amy Rardin, com direção de Melanie Mayron. Sua exibição será no dia 07/11/2016.

NÃO É TÃO SIMPLES ASSIM – Na festa de estreia da casa nova, Jane (Gina Rodriguez) e Michael (Brett Dier) enfrentam um problema quando descobrem que estão sendo despejados por não pagar o aluguel. Rogelio (Jaime Camil) ainda está tentando entrar para a televisão americana, mas precisa de uma ajuda incomum de Rafael (Justin Baldoni). Xo (Andrea Navedo) faz uma nova escolha de carreira, mas Alba (Ivonne Coll) e Jane não estão convencidas de que essa seja a melhor escolha. Enquanto isso, “Petra” (Yael Grobglas) surpreende Rafael com o que deseja fazer com a sua parte do hotel.

Confira, na nossa galeria de imagens, os stills do episódio 3×04 de Jane the Virgin:

Inicio > Jane the Virgin > Season 3 > Stills > 3.04 | CHAPTER FORTY-EIGHT

                       sill3x04_2.jpg sill3x04_3.jpg sill3x04_5.jpg sill3x04_6.jpg

Via: Spoiler TV

03
November
2016

Jane the Virgin começará uma nova era na próxima segunda-feira.

O próximo episódio da comédia do canal americano CW será o primeiro desde que a personagem principal (Gina Rodriguez) perdeu a sua virgindade. Esse não foi um momento significativo apenas para Jane,  — e, por associação, para o seu novo marido, Michael (Brett Dier) — mas para a própria série, tendo em vista que a premissa do título da série relacionava-se com a contínua abstinência de Jane, apesar de ter tido um bebê na primeira temporada e ter se casado na segunda temporada.

“Pareceu o momento certo, depois de a termos colocado em várias situações, histórias frustrantes, relacionadas ao fato de que ela era uma mãe, agora casada e ainda virgem,” a produtora da série, Jennie Snyder Urman disse à THR, no mês passado, quando revelou a decisão de, finalmente, deixar Jane ter relações sexuais. “Eu apenas senti que agora era o momento. Eu não tinha mais drama ou comédia nesse assunto.”

Mas como a perda da virgindade de Jane irá impactar o título da série? Sobre o episódio de segunda, The Hollywood Reporter conseguiu conferir, com exclusividade, como ficará o novo título de Jane the Virgin.

Como Urman explicou, os roteiristas planejam mudar o título semana a semana, dependendo da história e dos temas explorados. “Nós iremos manter o título, mas com algumas mudanças, tipo uma linha atravessadaJane the Guilty Catholic  (Jane, a Católica Culpada)’,” ela explicou.

Via: Hollywood Reporter

30
October
2016

Confira a descrição oficial do 3º episódio da 3ª temporada de Jane the Virgin, escrito por Carolina Rivera e Micah Schraft, com direção de Eva Longoria Baston. Sua exibição será no dia 31/10/2016.

SONHOS – APARIÇÕES ESPECIAIS DE GLORIA E EMILIO ESTEFAN – Jane (Gina Rodriguez) continua a trabalhar na sua tese e decide adicionar a irmã distante de Alba (Ivonne Coll) à narrativa, para o desgosto de Alba. Para que Rogelio (Jaime Camil) tenha a chance de ser uma estrela americana, ele decide trazer The Passions of Santos ao canal CW, na esperança de que eles aceitem. Xo (Andrea Navedo) pensa em abandonar o seu sonho de ser uma cantora por algo mais realista. Enquanto isso, Luis (convidada especial, Yara Martinez) é forçada a escolher entre a sua família ou Rose (convidade especial, Bridget Regan).

Confira, na nossa galeria de imagens, os stills do episódio 3×03 de Jane the Virgin:

Inicio > Jane the Virgin > Season 3 > Stills > 3.03 | CHAPTER FORTY-SEVEN

                       1_ep03.jpg 3_ep03.jpg 5_ep03.jpg 6_ep03.jpg

Via: Spoiler TV

30
October
2016

Produtora de Jane the Virgin, fala sobre a vida amorosa de Rafael e os momentos íntimos de Jane e Michael.

Preparem-se para momentos sensuais, fãs de Jane the Virgin!

Depois de ser liberada pelo médico de Michael, no final do episódio de segunda à noite. Jane e seu marido correm para casa para ter relações sexuais — e, de fato, eles terão, no episódio da próxima semana.

“Existe tanta pressão em cima da Jane para que esse seja o momento perfeito,” a produtora executiva, Jennie Urman descreve. “Existe tanta pressão na sala dos roteiristas para fazer desse o momento perfeito. E isso me fez começar a pensa, ‘Será que a primeira vez de alguém é perfeita?’… Eu acho que nós transformamos a nossa ansiedade e a ansiedade da Jane em uma hora muito, muito divertida e diferente.”

Urman ficou aliviado em se libertar de todas essas expectativas e, finalmente, responder o mistério de quando Jane perderia a sua virgindade. A produtora ainda disse, “É quase o mesmo alívio da Jane, tipo, ‘Ah, finalmente acabamos com isso.'”

O chefão da série também trouxe a tona outro grande momento: uma mudança no título. Enquanto que “Jane” sempre vai permanecer, “Virgin” vai ser cortado e substituído pela descrição específica do episódio, tipo Jane the Guilty Catholic (Jane, a Católica Culpada) ou Jane Who Doesn’t Like Her Mom’s New Boyfriend (Jane, Aquela que não Gosta do Novo Namorado da Mãe). “É uma forma, para mim, de mostrar que as pessoas são muito mais do que sexo,” Urman explica. “Jane é uma pessoa com tantas identidades diferentes e existem muitas coisas que a tornam uma personagem interessante.”

Enquanto isso, a declaração alegre de Rafael de que ele, finalmente, superou Jane irá causar “muitas complicações e dificuldades” para a mãe do seu bebê.

“As coisas são bem mais fáceis, quando as pessoas querem conquistar o seu coração,” Urman diz. “Guarda compartilhada é difícil, não importa como, mas não era tão difícil para a Jane, porque Rafael sempre quis agradá-la.”

A dinâmica entre os pais de Mateo vai sofrer uma grande reviravolta quanto Raf começar a seguir em frente com “um interesse romântico surpreendente” que está conectada com Jane, Urman dá uma dica, dizendo que a mulher misteriosa fará sua aparição no quinto episódio.

E, para aqueles que ainda torcem pelo casal Jane e Rafael, Urman confirma que o romance acabou — por agora. “Eu diria que as pessoas ainda podem manter as esperanças, porque coisas se tornam complicadas,” a produtora revela. “Mas não vamos explorar isso. Está subentendido.”

Confira, na nossa galeria de imagens, os stills do episódio 3×02 de Jane the Virgin:

Inicio > Jane the Virgin > Season 3 > Stills > 3.02 | CHAPTER FORTY-SIX

                          1_ep02.jpg 2_ep02.jpg 5_ep02.jpg 6_ep02.jpg

Via: TV Line

12
October
2016

Com o lançamento do seu novo filme, Deepwater Horizon, Gina Rodriguez está no caminho para ser uma estrela global – e ela está levando a comunidade latina junto com ela nessa jornada.

Quando alguém sugeriu que mudássemos a trilha sonora durante a sua sessão de fotos, ela pareceu não gostar muito, “Não, essa é a minha trilha sonora.” Deu pra notar que o que ela realmente quis dizer foi: Vai em frente, mude a música e veja o que acontece!

É um contraste e tanto com a sua personagem em Jane the Virgin, papel que a garantiu um Globo de Ouro em 2015. Nas primeiras duas temporadas da popular série do canal CW, o público conheceu e se apaixonou por Jane Villanueva, a animada latina de 20 e pouco anos, que vive de maneira descontraída, sem esquecer dos seus valores morais, e até decidiu manter a gravidez após ter sido inseminada artificialmente, por acidente, sem deixar de resguardar a sua virgindade até o casamento. (SPOILER: Os produtores revelaram que Jane finalmente perderá a sua virgindade durante a próxima temporada da série).

Juntamente com as suas colegas de elenco, as latinas Andrea Navedo (a mãe da Jane) e Ivonne Coll (avó da Jane), a porto-riquenha nascida em Chicago cativou o público latino e não-latino, graças à sua atuação e ao roteiro da série, que conquistou a todos com os diálogos inteligentes e sinceros, além da maneira direta com que o elenco trata de assuntos difíceis, problemas da vida real – desde imigração até aborto e preconceito contra idosos.

Se a série mostra as raízes multiculturais dos Estados Unidos, então, a Afro-Latina, meio-Judia, graduada na NYU, se tornou um destaque no quesito diversidade. É um papel que Rodriguez lida com graciosidade nas redes sociais, em especial no Instagram. Suas hashtags surgiram em um momento de inquietação em casa, ela diz. “Eu falei para o meu pai, ‘Pai, eu tenho que fazer alguma coisa para ajudar. As pessoas não estão mais exaltando as outras. Tem muita negatividade.’ E ele disse, ‘Então, por quê você não usa aquela coisa de rede social.’ E eu pensei, ‘Exatamente!’”.

Quando nos sentamos com Rodriguez, encontramos uma atriz curiosa e preocupada com tudo, desde cyberbullying até o desenvolvimento de si mesma como uma artista que interpreta papeis de destaque em dois lançamentos – Deepwater Horizon, um filme repleto de grandes atores e atrizes que estreou no dia 30 de Setembro, e Annibilation, uma aventura de ficção científica com estreia prevista para 2017 e que ainda tem no elenco Oscar Isaac, Natalie Portman e Jennifer Jason Leigh. Em ambos os filmes, Rodriguez interpreta o tipo de mulher destemida que aspira ser na sua própria vida e para todos nós.

Você tem dado muita atenção à questões de identidade cultural – ser Latina e Americana ao mesmo tempo. Como você balanceia isso?

Eu amo poder representar ambas as culturas. Eu fui sortuda o suficiente por nascer nas duas. Eu como hambúrgueres e cachorros-quentes. Eu como arroz porto-riquenho com ervilhas-de-pombo. Minha avó fala Espanhol, meus professores Inglês. É um privilégio que eu tenho.

Agora você está se utilizando desse privilégio nas telonas. Como foi filmar seu primeiro grande filme, Deepwater Horizon, sobre a explosão gigantesca da plataforma de petróleo de 2010?

Peter Berg é um gênio. Mark Wahlberg é incrível. John Malkovich, Kurt Russell, Kate Hudson – eu aprendi tanto com essas pessoas, esse elenco, essa família.

Me ofereceram muitos filmes depois do Globo de Ouro – Jane abriu tantas portas – e quando o roteiro de Deepwater Horizon apareceu no meu iPad, eu pensei “esse é o filme que eu vou lutar para fazer.” Esse é o que eu quero fazer.

Você lutou pelo papel? Contra quem?

Eu interpretei Andrea Fleytas, uma heroína da vida real, latina nascida na Califórnia, e eu acho que seria devastador se ela não tivesse sido interpretada por uma latina. Não precisava ser eu. Eu disse ao Peter, “Se não for eu, pode ser a Natalie Martinez. Pode ser a Melonie Diaz, Génesis Rodriguez, Stephanie Beatriz, Melissa Fumero. Poderia ser qualquer latina arrasando nesse papel.”

Como foi trabalhar com Mark Wahlberg? Ele entendeu os seus desafios como latina e como mulher?

Nós nunca conversamos sobre cor, etnia ou cultura, mas conversamos sobre desafios. Uma coisa que eu acho extremamente inspiradora no Mark, é que ele não quer fazer isso sozinho. Ele quer ajudar todo mundo ao seu redor, exaltar a todos. Mark entende que ele chegou onde está agora, porque muitas pessoas o ajudaram no caminho, inclusive ele mesmo. Ele me entendeu. Ele entendeu a ideia de que eu enfrentei muitas coisas difíceis. Não apenas como latina, não apenas como uma protagonista cheia de curvas, mas como mulher. Foi difícil para alguém que veio da periferia. Ele entende de dificuldade, e ele consegue enxergar isso nas outras pessoas. Ele, definitivamente, me apoiou muito. Ele sabe como gerenciar os seus negócios, seu império, e ainda assim se preservar. Ele acorda, reza e agradece. Ele é grato e valoriza as suas conquistas, e ele se doa. Ele ocupa essa posição, não apenas por conta do seu esforço, mas também pelo seu coração. Eu percebo isso, porque me reconheço nele.

Recentemente entrevistamos Diane Guerrero de Orange is the New Black, e comentamos que parece que os latinos estão se ajudando profissionalmente em Hollywood e além. Você percebe isso?

Nós, definitivamente, estamos nos ajudando. Uma coisa que eu amo na cultura judaica é o efeito formigueiro. Toda formiga leva comida ao formigueiro e todo mundo come. Infelizmente, a nossa cultura tem vivido o efeito caranguejo em cativeiro. Estamos com tanto medo de não ter espaço para todos que acabamos tendo que lutar para chegar ao topo. Não precisamos disso. Tem espaço para todos nós. Nós somos mais fortes juntos. Como latinos, colocamos Barack na presidência. Poderíamos fazer a mesma coisa para assegurar que Donald Trump não ganhe a eleição. Nós somos fortes assim.

Como foi trabalhar com o diretor Alex Garland e o elenco de Annihilation?

Alex Garland é absolutamente brilhante. Você pode ler todos os livros dele e ainda pensar “Esse homem pode criar qualquer tipo de mundo do nada.” Annihilation é baseado em um livro de ficção científica de Jeff VanderMeer e Alex o adaptou para as telonas. Oscar Isaac interpreta o marido de Natalie Portman. Eu amo tanto o Oscar. Ele é tão encorajador e tão amável, solidário. O filme é sobre cinco mulheres que estão em uma expedição em direção à um local chamado de Área X, para tentar conter uma contaminação que está começando a destruir o mundo. Nós temos armas e estamos fazendo façanhas bem extremas, tem um roteiro incrível. Eu interpreto Anya Thorensen, uma paramédica lésbica de Chicago, ex-viciada, que embarca nessa aventura para tentar ser a heroína que ela meio que sempre sonhou em ser.

E você raspou o cabelo para o filme!

Eu acho que combina com a ideia de ser a sua própria heroína e não sentir que precisa atingir as expectativas de outras pessoas. Eu não sou a minha beleza. Eu não sou o meu cabelo, e ser uma atriz é se transformar. Representar uma comunidade é se comprometer, dar o sangue. Então, se vou representar latinos na indústria e na arte, eu vou representar meus priminhos de Chicago, eles vão saber que eu dei tudo de mim. De quem temos medo? Do que temos medo? A pior coisa que pode nos acontecer é a morte. O resto conseguimos lidar.

Você é a líder de uma nova geração de atrizes latinas que orgulhosamente representam as suas raízes. Você se vê assim?

Um líder forte é aquele que cria outros líderes. Então, se estou encorajando outras jovens a assumirem o controle de suas vidas, a espalharem gentileza, então estou fazendo o trabalho que Deus me colocou aqui para fazer. Todo o esforço que fazemos na indústria, todo projeto que eu desenvolvo, vai ser para impulsionar as mulheres. Não apenas as mulheres de cor, mas todas as mulheres e homens. Um não existe sem o outro. Eu vou continuar com a cabeça erguida, tentando fazer o melhor trabalho possível, nunca deixando a fama subir para a cabeça, apenas vou continuar tentando.

Adicionamos, à nossa galeria de imagens, o Photoshoot da Gina para a capa da revista Latina. Confira clicando no link abaixo:

Inicio > Photoshoots & Portraits Sessions > 2016 > LATINA

                   latina_001.jpg  latina_002.jpg  latina_003.jpg  latina_007.jpg

Via: Latina